A conspiração de Sofia…

princesasofia
De facto, não há ninguém que chegue aos pés dos americanos no que toca ao marketing e a criar produtos, serviços ou até festividades com pouco ou nenhum sentido ou utilidade prática mas que, graças a uma gigantesca máquina promocional que faz uma autêntica lavagem cerebral às grandes massas, se tornam indispensáveis no dia-a-dia do manel e da francisca e, de um dia para o outro, o mundo inteiro aderiu a uma coisa que, se pensar um bocadinho, não sabe bem para que serve ou de onde apareceu. Nasce este meu desabafo por ocasião do Halloween, uma festa com origem em celebrações dos antigos povos celtas, tradicionalmente assinalada no Reino Unido, mas que, quando atravessou o Atlântico em direção aos Estados Unidos da América, se transfigurou por completo.

Hoje, Halloween na Terra do Tio Sam é sinónimo da miudagem andar a bater de porta em porta a pedir doces, vestidos de bruxas, fantasmas, monstros e afins. É sinónimo também de filmes de terror com enredos que acontecem na fatídica noite de 31 de outubro, quase todos com os mesmos ingredientes, mudam os atores e o resto é tudo igual. Mas os americanos adoram aquilo, sabe-se lá porquê. Depois, o Halloween atravessou outra vez o Atlântico e regressou à Europa como Dia das Bruxas, com a miudagem trajada de bruxas, fantasmas, vampiros e outros monstros, desta vez não a bater de porta em porta a pedir doces, mas a ir satisfeitos da vida para as escolas. E lá vão os pais na semana anterior a correr para os hipermercados ou lojas dos chineses para comprar as roupas, senão ninguém atura a birra dos miúdos lá em casa.

Não pensem que tenho nada contra o Halloween. Até acho piada às minhas filhotas irem vestidas de bruxa e abóbora para a escola e também vi muitos dos tais filmes de Hollywood que são sempre iguais uns aos outros. Mas, quando penso no Carnaval, percebo que o Halloween não me aquece nem arrefece. Voltamos ao princípio da conversa, é tudo uma questão de marketing e, como os europeus e os brasileiros não são os americanos, o Carnaval não é o mesmo fenómeno mundial de popularidade que é o Halloween. Quanto ao que está na origem de cada festividade, ninguém se lembra, o que interessa é gastar dinheiro em trajes e adereços.

Se calhar estão a estranhar tanta rabugice por causa do Halloween, que este ano são apenas dois dias, a sexta-feira em que a miudagem quer ir mascarada para as escolas, e o sábado em que querem andar o dia todo vestidas de bruxas, fantasmas e abóboras, mesmo que não saiam de casa. O problema é que esta febre consumista agora é sempre a subir de tom até ao Natal, com os nossos filhos a serem bombardeados com publicidade atrás de publicidade a bonecos de todas as marcas e feitios, a casas, cozinhas, salões de cabeleireiros, pistas de automóveis, quartéis de bombeiros, jardins, quintas e por aí adiante.

Quem passa algumas horas em casa durante o dia com os filhos sabe bem do que estou a falar. De manhã e à tarde são eles os donos do comando da televisão e isso significa que temos que levar com o Ruca, Princesa Sofia, Doutora dos Brinquedos, Selva Sobre Rodas, Miles do Futuro, etc, etc, programas que, às vezes, os miúdos nem estão a acompanhar com grande atenção. No entanto, mal se aproxima o Natal, entram em ação as mesmas personagens, agora em anúncios às suas figuras e cenários e parece que é uma luz que se liga no cérebro da criançada. De repente, saem disparados da sala para ir buscar os bonecos, pequenos ou grandes, mais baratos ou mais caros. Se não têm, querem que os pais os comprem. Se têm as personagens principais, querem que os pais comprem as figuras dos irmãos, dos amigos, dos cães e gatos. No meu tempo colecionávamos cromos da bola. Agora, os miúdos colecionam as figuras das séries da televisão e vá-se lá explicar às crianças que aqueles bonecos, que às vezes até partem ou perdem num instante, custam bem mais do que as moedas que vão metendo no porquinho. E ainda falta tanto tempo para o Natal.

Daniel Pina

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s