Levar a cultura onde estão as pessoas

saiaderoda

As queixas não são de agora, aliás, todos os artistas, produtores, programadores de equipamentos culturais, governantes com responsabilidade na matéria, dizem o mesmo: são poucos os portugueses que consomem cultura de forma regular. Depois, o famigerado ciclo eterniza-se: se não há público, promovem-se menos eventos culturais, sejam eles espetáculos de teatro ou de dança, concertos musicais, exposições de arte e outros; se não há oferta regular e diversificada, os consumidores de cultura vão perdendo os seus hábitos; o que leva a menos público e a menos eventos e a menos público e a menos produção… Já estão a ver onde isto vai dar.

Ora, se o problema está perfeitamente identificado, porque teimam em tardar respostas adequadas do poder central para se inverter a situação? Até porque todos sabemos que, quando os eventos são de qualidade, ou diferentes do que estamos acostumados a ver, o público acaba por surgir e em quantidade assinalável. Veja-se o mediatismo que o Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia alcançou num ápice.

Como os principais prejudicados com esta situação são os próprios agentes culturais, aqueles que vivem, essencialmente, da cultura, muitos arregaçaram mangas e têm tentado criar públicos junto dos mais novos. Assim se passa, por exemplo, com os Serviços Educativos do Teatro Municipal de Faro e do Cine-Teatro Louletano, que promovem regularmente sessões de teatro infantil para os jardins-de-infância e alunos do primeiro ciclo.

estenaosoueu
Não se trata apenas de aplicar a velha máxima «de pequenino é que se torce o pepino», porque, assim, teriam que esperar largos anos até que estes jovens se tornassem adultos consumidores de cultura. Trata-se de desenvolver nas crianças hábitos culturais e esperar que elas depois façam o trabalho de casa, isto é, que desafiem os pais para as levarem ao teatro, ao cinema, ao bailado, à exposição, ao invés de ficarem os fins-de-semana em casa agarradas às televisões ou às consolas de jogos.

Ainda esta semana assisti ao «Saia de Roda» no Teatro das Figuras, uma peça que pretende dar a conhecer algumas festividades tradicionais portuguesas a crianças dos 3 aos 5 anos. Há uns meses, estive no Cine-Teatro Louletano a ver o «Este Não Sou Eu», que apresentou a poesia de António Aleixo a alunos do primeiro ciclo. E, em ambos os casos, os jovens mostraram o seu agrado com a experiência. Também esta semana andou por Vila do Bispo o autocarro VATe da ACTA – Companhia de Teatro do Algarve, com o espetáculo «Dá-me um abraço», onde imensos alunos ficaram a saber a verdadeira importância de dar ou receber um abraço. E com tudo isto se vão criando novos públicos para o futuro.

retratosnaria
Claro que isto não significa que as gerações mais velhas sejam um caso perdido, simplesmente, há que adaptar a estratégia a homens e mulheres que andam constantemente num ritmo desenfreado de casa para o trabalho e vice-versa. Nessas situações, há que levar, verdadeiramente, a cultura até às pessoas, como se propõe fazer a exposição «Retratos Na Ria», da Associação Fungo Azul, com fotografias fantásticas de Jorge Jubilot espalhadas pelos diversos cais de embarque da Ria Formosa.

Deste modo, os turistas que visitam a Ria Formosa ou os moradores das ilhas que passam por estes espaços, são confrontados todos os dias com obras de arte. Da mesma forma que as pessoas que, nos dias 11, 12 e 13 de março, andarem pelas ruas de Castro Marim e Altura, vão dar de caras com a «Carripana» de João de Brito. O palco deste espetáculo de teatro é a rua, a figura principal é a carrinha Citroen Berlingo do encenador e ator, que assim convida os transeuntes a pararem um pouco e sonharem. E assim se vão cativando também os adultos para a cultura. Agora, se ficarmos todos confortavelmente sentados nos nossos gabinetes à espera que as pessoas decidam, por sua livre iniciativa, consumir cultura, os resultados serão, certamente, menos risonhos.

Daniel Pina

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s